MMF

MMF

domingo, 6 de março de 2016

Encontro de Formação para responsáveis do Setor das Crianças


No dia 5 de março pela madrugada de um sábado com muita chuva, três mensageiras partiram em direção a Fátima, Teresa Andrade, Fátima Matos e Fátima Lobo.
Chegaram peregrinas pelas 8h e pouco ao Santuário onde encontraram um sol radioso e quente e se aconchegaram na capelinha agradecendo e pedindo à Mãe do Céu força, coragem e saúde para todos.



Foram a à Formação para responsáveis do setor das Crianças que se realizou na Casa de Nossa Senhora das Dores, onde tomaram parte dos trabalhos que iriam decorrer nesse dia na sala de conferências do segundo andar.
Após a nossa chegada encontramos a Responsável a nível Nacional, Maria Emília que nos saudou com um forte abraço, o que nos enterneceu.




Iniciamos os trabalhos pelas 9h30 com a oração da manhã.

De seguida o Sr. Pe Antunes fez uma introdução sobre os trabalhos a realizar. Alertou para as dificuldades... elas existem! Cuidado! Ser grande, ser o mais importante do que todos os outros...
O MMF é uma missão, uma responsabilidade muito grande. Há mais de 20 anos que o Pe Antunes insiste nas crianças e poucos secretariados estão pouco empenhados, indiferentes a esta missão. Neste movimento há lugar para todos! Não inventamos nada, foi o céu que inventou e formou três crianças numa escola de espiritualidade e de santidade.
O esquema do Anjo é muito importante saber, assenta num tripé que é a adoração, penitência e contemplação. a primeira coisa que o Anjo fez foi prostrar-se e a ajoelhar e com a sua força interior levou as crianças a imité-lo.
Trabalho de reflexão pessoal - cada um pensar em nós, que formação espiritual nós temos para transmitir às crianças?
Santidade não é fazer milagres! mas ter uma força dentro de si para que saia sem darmos conta. Temos de deixar que dentro da técnica haja um espírito.

 


Após a intervenão do Sr. Pe Antunes, eis que somos brindados com o testemunho do Sr. Pe João, pároco de Coruche, pároco de 4 paróquias com 8 locais de culto.
Viver sem amigos?-  questiona-nos. Respondemos todos: - Não!
Temos amigos com quem gostamos de falar e partilhar - os santos.
Santos - "são amigos de Jesus que cuidam de nós, porque estão com Deus!"
Francisco - o menino da contemplação, o seu Amigo é Jesus. Menino pacato, nos jogos onde entrava nunca ganhava.
Jacinta - gostava de ganhar, de dançar e cantar. Todos nós fazemos asneiras, somos pecadores. Jacinta era cerdadeiramente missionária, é a menina da compaixão.
Lúcia - capacidade de ser fiel ao "Sim" que deu a Nª Srª, à vontade de Deus.
A nossa fidelidade a Deus começa no coração, transformar o mundo mas primeiro transformar o nosso mundo e terá assim consequência na vida dos outros.
Jesus foi sempre fiel à vontade do Pai. Deixamos de ser o centro de nós prórpios e passamos a ser o centro de Deus, a tomar Deus como o nosso centro de vida.
O Pe João diz que gosta de olhar para a Mensagem de Fátima como para uma medalha, que possui dois versos, a parte da frente são os pedidos que N^Sr^fez e a parte do verso a resposta que os pastorinhos deram.
Seguidamente testemunha as atividades que realiza nas suas paróquias como a contemplação: todas as quintas-feiras, adoração eucarística com intenções pelo Santo Padre.
Nos dias 13, hora da graça e da misericórdia, rezam pelo Santo Padre, pelos Sacerdotes e pela Familia.Colocam por escrito num papel as intenções, benze-se flores (rosas) e são levadas aos doentes.
No dia 7 de Outubro rezam o rosário (4 terços) em vigília durante duas horas.
Compaixão - primeiro sábado de cada mês rezam o terço num centro de dia.
Fidelidade - viver como filhos de Deus e de Maria. Fazem uma marcha pela paz, todas as quintas-feiras uma Missa a N^Srª.
Proclamar os pastorinhos de Fátima como patronos da catequese. Os nossos catequizandos de hoje precisam de referências.
No dia 20 de Fevereiro uma flor que cada criança leva.
Francisco é o patrono dos Acólitos em Portugal.
Uma imagem do Coração de Maria é levada por cada criança uma semana para casa e em família fazem/escrevem uma oração. No final recolhem-se todas as orações que são publicadas num livro.
O que nos faz mudar é o Amor.
O MMF é uma cisterna de água que quanto mais se tira mais ela transborda.
Um testemunho que muito nos agradou e ajudou nos nossos trabalhos nas nossas paróquias.




Após este testemunho, o Presidente do MMF a nível nacional, Nuno Neves, apresentou de uma forma resumida os estatutos e regulamentos.






De seguida a responsável a nível nacional do setor das crianças, Maria Emília Carreira, apresentou o Projeto - "Criança em movimento".
Porquê? - concretizar e dinamizar.
Importância -  difusão da Mensagem de Fátima.
Destinatários - Secretariado Nacional, Diocesanos, Paroquiais e todos os mensageiros.
Setor das Crianças:
- promover a constituição de grupos de crianças e adolescentes - Os Pequenos Mensageiros de Nª Srª.
- promover e estimular as Adorações Eucarísticas com crianças e adolescentes.


Pausa para almoço e convívio entre todos os presentes.
Iniciou-se os trabalhos da parte da tarde pelas 14h30, com a partilha de experiências, questões e dúvidas dos diversos Secretariados presentes.
Estiveram presentes - Porto, Viana do castelo, Fátima, Leiria, Algarve, Setúbal, Braga, Portalegre, Castelo Branco, Lisboa, Beja e Coimbra.
Após a intervenção de cada secretariado, seguiu-se uma intervenção da Irmã Amália, sob o tema: "Formação da personalidade da criança e a espiritualidade".
Educar com amor e com firmeza, definindo com clareza as regras e os limites.
A criança não é um adulto em miniatura. A criança vê o mundo de maneira diferente.
Saberes:
- saber humano
- saber social
- saber cultural, político e universal
- saber ético - Lúcia e sua mãe - Lúcia diz a verdade e a mãe não entende, transcende-a.
- saber estético - diferença entre o belo e o feio - "Que Srª tão linda!"
- saber espiritual - forma concreta de se relacionar com Deus.
São saberes impermeáveis, interligam-se entre si, comunicam os valores humanos muito vastos.
Ajoelhar não é só um movimento corporal mas uma atitude interior pois apresentamos uma Pessoa.
Respeitar a individualidade é um desafio, uma missão para os Educadores da Fé.
Este conhecimento não é um conhecimento para controlar a criança mas para ajudar a criança a ser plenamente criança.
Devemos conhecer as crianças para sermos como elas. Conhecê-las para as imitar e ser como elas, conhecer os motivos pelos quais elas são as prediletas do Reino de Deus. Conhecer a criança para a promover, compreender, entender e amar como ela é. 
Subjetividade
Individualidade
- fatores sociais, culturais, biológicos, psicológicos
Cada criança é única e singular.
Criança - Carinho - mais autoconfiança.Liberdade para expressar as suas emoções.
Adolescência - crise de identidade.
O adolescente precisa de expandir os seus horizontes e com interesses diferentes.
Três condições de desenvolvimento:
- Definir limites e regras;
- Brincar;
- Praticar desporto.
Três faculdades psicológicas:
Criatividade - papel importante na formação da espiritualidade (Einstein - espírito crítico, insaciável).
Imaginação - ferramenta vital para o desenvolcimento do sonho e da espiritualidade, escutar com atenção os sonhos das crianças.
Espiritualidade - é constitutiva da personalidade da criança, é sensível, ao transcendente, incentivar momentos e convidar à imobilidade e ao silêncio.
A oração, a quietude e o silêncio são naturais e devem surgir na vida da criança como unidade com os outros.
É importante ajudar as crianças a olharem para dentro de si. 
"As crianças fazem amadurecer os adultos com as suas perguntas" - Papa Francisco.
As crianças conseguem ser mesmo admirávies na entrega. Como ser como elas? - Olhando para Jesus. 
"Jesus é o modelo de criança filho como devenos ser" - Papa Bento XVI
Não é fácil conservar o enlevo infantil.
Terminou a sua intervenção com uma oração:







Após a finalização da intervenção da Irmã Amália foi saudada com uma salva de palmas, pois apresentou de uma forma simples, clara e com uma humildade que nos tocou a todos.
O Sr. Pe Antunes fez-lhe um pedido, se podia inserir a sua intervenção no próximo boletim do nosso movimento, ao qual ela acedeu prontamente e agradeceu.
Eu aqui deixei um excerto do que foi falado. Espero que ajude quem precise.
Seguiu-se um plenário onde foram colocadas questões à palestrante.
Fez-se um intervalo, para preparar e ensaiar os cânticos para a Eucaristia das 18h30.
Nós as três mensageiras do Porto, por termos autocarro pelas 19h30, despedimo-nos e fomos lanchar.
E fomos novamente à capelinha onde assistimos e rezamos o terço pelas 18h30, com as pessoas presentes e agradecemos a Nª Srª o dia passado tão perto dela.
Dirigimo-nos para a estação de autocarros onde pelas 19h30 iniciamos a viagem de regresso até ao Porto, onde chegamos pelas 21h35.
Foi um dia muito preenchido e cheio de experiências muito positivas.
Prometemos voltar para o ano!
Bem hajam!


  


Fátima Lobo


Sem comentários:

Enviar um comentário

Afurada