MMF

MMF

segunda-feira, 25 de julho de 2016

domingo, 24 de abril de 2016

Visita da Imagem Peregrina a Paranhos




https://www.facebook.com/100001976640798/videos/995961347146411/

TESTEMUNHOS



https://www.facebook.com/Diocesedoporto/videos/1289758547720184/

https://www.facebook.com/Diocesedoporto/videos/1290994417596597/

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Deixemo-nos olhar pelo olhar materno e terno de Maria



O segundo dia da visita da imagem Peregrina, dia 11 de abril, teve como palco a vigararia de Oliveira de Azeméis e S. João da Madeira. Um dia que se revelou pela muita chuva que se fez sentir mas que não demoveu o mar de gente que foi estando presente nos vários momentos previstos. A presença do bispo do Porto ao longo do dia e da noite foi um facto apreciado e revigorando de sentido esta peregrinação mariana pela diocese.
A receção da imagem aconteceu no largo de S. Lázaro em S. Martinho da Gândara, às 10h, que dali partiu (10h20) para o santuário de N.ª Sr.ª de La Salette. Antes de lá chegar, passou por Madaíl (10h30), Loureiro – Largo de N.ª Sr.ª da Alumieira (10h45), igreja de Ul (11h20), Travanca, Estrada Nacional n. 1 (11h50), Oliveira de Azeméis (12h) e La Salette (12h20). O presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis não faltou, sabendo-se que Hermínio Loureiro é católico e um devoto de N.ª Senhora. A imagem permaneceu no santuário até às 18h15 e ali foi acorrendo muitos fiéis nos tempos orientados para as comunidades paroquiais do concelho. A saber: paróquias de Oliveira de Azeméis (12h30 às 13h30); Pinheiro da Bemposta (13h30 às 14h30); Palmaz e Travanca (14h30 às 15h30); Macinhata da Seixa e Ossela (15h30 às 16h30); Ul (16h30 às 17h30); e a cerimónia de despedida, com os vários grupos paroquiais e diferentes ministérios (das 17h30 às 18h)
Após a saída de Oliveira de Azeméis, o «mater mobile» fez-se ao caminho até chegar a S. João da Madeira, mais concretamente ao santuário de N.ª Sr.ª dos Milagres. Pelo caminho, N.ª Senhora continuou a visitar mais uns lugares e localidades, bem como os seus habitantes, atravessando: Santiago (Senhor da Campa – 18h15), igreja de Santiago (18h25), Salgueiro (18h35), Manta (18h33), Gandarinha e Mártir (18h40), Faria de Baixo (18h41), rua de N.ª Sr.ª da Conceição (18h43), capela de N.ª Sr.ª da Conceição (18h44), rua Padre José Andrade (18h45), rua Dr. Ângelo da Fonseca (18h46), rua de Cucujães (18h46), 8.ª Avenida (18h49), hipermercado Continente (18h50) e santuário de N.ª Sr.ª dos Milagres (19h).
De registar que o santuário estava a abarrotar de gente, sendo até pequeno para todos os que quiseram ir ali, ver e sentir de modo especial a Sr.ª de Fátima. Havia gente, fora da porta de entrada, a assistir à celebração. À chegada da imagem, sempre com flores e mais flores, lenços no ar e com chuva, o P. Artur de Matos Bastos (missionário da Boa Nova e pároco de Cucujães) – antes de dar a palavra ao bispo do Porto – deixou uma nota histórica: esta imagem Peregrina foi a primeira que se fez, no ano de 1947, para seguir para a Alemanha (Berlim), no contexto da II guerra mundial. “É uma alegria ter N.ª Sr.ª aqui, nesta cidade de trabalho. Peçamos-lhe que seja modelo para nós, a fim de seguirmos Jesus”, rematou. De seguida, D. António Francisco deixou uma palavra circunstancial e de improviso (sem texto escrito).
Saudação de D. António no santuário de N.ª Sr.ª dos Milagres
“Sintamo-nos bem, estamos na casa da Mãe, e é na casa da Mãe que sempre nos encontramos bem, aconchegados pelo seu amor materno e abraçados pela sua ternura de Mãe. Quero saudar N.ª Senhora nesta peregrinação que está a fazer à nossa diocese. Acolhemo-la com alegria, com amor e gratidão. Queremos deixar-nos olhar pelo seu olhar de Mãe.
[deixou saudações e agradecimentos aos presbíteros presentes e aos membros do Movimento da Mensagem de Fátima da diocese do Porto, na pessoa do seu presidente Dr. António Ferraz]
Vamos continuar esta vigília e, logo à noite, a procissão de velas, se o tempo e a chuva nos deixarem. Quero, desde já, recordar-vos o seguinte. O Santo Padre Papa Francisco aquando da sua última viagem, em que foi ao México, quis visitar o Santuário de N.ª Sr.ª de Guadalupe. Depois, teve um encontro com os bispos, do grande país do México. E disse-lhes assim: «eu quero que vos deixeis olhar pelo olhar da Mãe, a Senhora de Guadalupe, a ‘morenita’ como nós lhe chamamos aqui no México». Hoje, também, peço que vos deixeis olhar pelo olhar da Mãe, a Senhora de Fátima. Que ela olhe o nosso coração e a nossa vida; que ela envolva de ternura as nossas famílias e as nossas comunidades; que ela olhe para esta cidade – como nos dizia o P. Artur –, uma cidade de trabalho, de dignidade, de projetos, de sonhos e de vida cristã; que ela olhe para os nossos movimentos apostólicos, tão ativos e interventivos na nossa cidade de S. João da Madeira; que ela olhe para as nossas famílias, os nossos jovens e crianças, os nossos idosos e doentes, para aqueles que vivem momentos de dificuldade e provação. Deixemo-nos olhar pelo olhar materno e terno de Maria. Que este olhar nos ajude a ser cristãos responsáveis, conscientes e construtores de um mundo novo. E que esta ajuda que encontramos aqui – numa presença tão numerosa e tão participativa ao longo de todas as estradas e paróquias da nossa vigararia, mesmo com a intempérie do granizo –, os olhares, os gestos, as flores, as colchas, o encanto do olhar sereno das crianças, a alegria da juventude, as súplicas dos doentes e idosos e de tantas famílias que confiam em N.ª Senhora, são uma razão de fazermos hoje nossa a sua oração, para que eles saibam fazer sua, também, esta ternura que encontramos no olhar de N.ª Senhora, a Virgem do Rosário de Fátima, que vem ao encontro da cidade de S. João da Madeira neste Santuário de N.ª Sr.ª dos Milagres. Imploremos da Virgem Maria este milagre do fortalecimento da nossa fé, este milagre da construção de um mundo melhor, este milagre da paz. Ontem confiei, na igreja de Ovar, a minha primeira intenção neste peregrinar pela nossa Igreja do Porto: no início desta Semana das Vocações implorei que nos conceda abundantes vocações para a vida sacerdotal, religiosa e missionária. Confirmo hoje, e aqui, verdadeiro rasgo de generosidade é o dom dos nossos sacerdotes, das comunidades religiosas, dos consagrados e consagradas no meio do mundo. Mas, hoje, coloco-lhe outra intenção aqui, neste lugar e nesta cidade, peço por aqueles que não têm trabalho e procuram emprego, peço por aqueles que vivem provação e por aqueles que anseiam um projeto de futuro, sobretudo para tantos jovens diplomados que não encontram possibilidades de realização e de aprovação dos seus valores e dos seus talentos. Peço-lhe, nesta cidade do trabalho, por todas as empresas, pelos seus empresários e empreendedores, por aqueles que lutam por um salário digno, por aqueles que constroem um Portugal mais justo, por aqueles que querem um mundo melhor. Que esta intenção, que chega das vossas mãos rugosas do trabalho diário, dos vossos corações decididos e das vossas inteligências empreendedoras, fique aqui com N.ª Senhora. E peçamos-lhe, ainda, pelos nossos casais, pelas famílias e seus jovens que têm talento e coragem, que tem determinação de sonhos, para que os possam concretizar em Portugal e na nossa terra. Que Deus vos abençoe a todos e o olhar terno de N.ª Senhora nos envolva com a sua ternura, com o seu carinho, com a sua luz e com a sua bênção. Ámen”.

Finda esta saudação, em jeito de oração, a assembleia presente agradeceu as palavras do seu bispo com uma salva de palmas. Seguiram-se espaços de oração organizada, por turnos e pelas paróquias da vigararia, até ao momento da imagem deixar o santuário para percorrer as ruas da cidade de S. João da Madeira em majestosa procissão de velas. Foi assim distribuída a oração partilhada: paróquias de S. João da Madeira (19h às 19h30); S. Roque e Fajões (19h30 às 20h); Cesar e Pindelo (20h às 20h30), através dos seus movimentos, crianças e jovens. À noite, a chuva foi parando à medida que a procissão iniciava o seu itinerário, integrada por largas centenas de pessoas que deram mais luz à cidade, com as suas velas acesas. Além da cruz processional, completavam a procissão os vários pendões e bandeiras, erguidos pelos representantes de todas as paróquias de Oliveira de Azeméis e de S. João da Madeira. A oração do terço foi sendo orientada pelo pároco de S. João da Madeira, P. Domingos Milheiro Leite. No final, o bispo do Porto dirigiu uma pequena preleção espontânea à multidão (sem texto escrito)
Intervenção final de D. António Francisco, na procissão de velas
“Oliveira de Azeméis e S. João da Madeira, nesta noite santa vivido em tempo pascal, acolhemos a Virgem Sr.ª do Rosário de Fátima. Sê bem-vinda, Mãe de Deus e nossa mãe. Cem anos passaram desde esse momento em que, ao longo desses seis meses de 1917, escolhestes a nossa terra e a nossa pátria, para permanecerdes mais perto junto de nós. Obrigado por essa escolha e por esta presença, por essa mensagem e por esta bênção. E obrigado, hoje, por teres vindo da Cova da Iria, da Serra d’Aire, até junto de nós. Recebemos-te desde a manhã, no extremo da nossa vigararia, no largo de S. Lázaro em S. Martinho da Gândara. A partir daí foram tantas as pessoas que cruzaram convosco o seu olhar, que aguardavam nas portas de suas casas, que quiseram saudar com o seu sorriso desde as crianças mais pequeninas aos idosos mais fragilizados pelo peso da idade ou – muitas vezes – magoados pela dureza da doença. Vistes os campos em que trabalhamos, as empresas que construímos, as casas que habitamos, as escolas onde aprendemos, as igrejas onde rezamos. Percorreste connosco os caminhos, como quem já está habituada a fazê-lo. Não fomos nós que te ensinamos os caminhos da nossa terra, sempre habitaste connosco, sempre vos fizeste presente com a vossa bênção. Mas hoje vimos-te mais próxima e sentimos-te mais presente. Agradecemos-te a tua ternura de mãe, o teu aconchego e proximidade. Trazemos, ao longo deste dia, as nossas comunidades paroquiais. Olhai estas cruzes levantadas, símbolo e sinais da nossa redenção, vede os estandartes que marcam a alma cristã das nossas paróquias, lede o seu nome, conhecei os seus habitantes, abençoai as suas famílias. Mas, nesta noite, quiseste percorrer o chão sagrado desta grande cidade de S. João da Madeira. Percorrestes avenidas e ruas, desde o santuário da Senhora dos Milagres e vistes a ação dos nossos antepassados para afirmar este culto mariano da nossa terra. Fomos ajudados, neste caminho, pelas autoridades – a quem queremos agradecer – e por todos os responsáveis que colaboraram e prepararam este momento, concretamente à Polícia de Segurança Pública e aos Bombeiros Voluntários da nossa cidade, e a todos os organismos e associações nós agradecemos e pedimos-vos que os abençoeis. Somos muitos nesta noite de frio e de chuva. Nada nos impediu de aqui estarmos, mesmo aqueles que não puderam estar aqui nesta hora, os nossos doentes. Peço-te, ó mãe, que olhes com particular carinho para eles, abençoa-os e dá força às suas família, que são testemunho generoso de bênção, de cuidado, de carinho, de dedicação, de entrega, de vidas dadas por inteiro a favor daqueles que mais precisam. Escolhemos este amplo largo, entre o hospital e a Misericórdia, para que de olhos voltados para a cidade sintamos hoje as instituições que ao longo dos séculos cultivam o sentido do bem dos outros, praticam as obras de misericórdia com alegria, como é lema diocesano da quaresma e páscoa deste ano, e proclamam que são felizes os misericordiosos. Só tu conheces, Senhora, quantos sofrem aqueles que no hospital, na casa de repouso, nas nossas famílias precisam da ajuda de tanta gente, que assume como lema e como imperativo de missão realizar as obras de misericórdia. Queremos agradecer-te todos quantos, em cada dia, dão de comer a quem tem fome, dão de beber a quem tem sede, vestem os nus, visitam os doentes, assistem os presos, acolhem os peregrinos, sepultam com respeito e dignidade os mortos. Agradecemos-te, ó mãe, todos quantos dão um conselho, todos quantos ensinam os ignorantes, todos quantos corrigem os que erram, todos quantos sofrem com paciência as fraquezas do nosso próximo e, todos quantos diariamente rezam pelos vivos e pelos defuntos. Que nestas 14 obras de misericórdia, nós sintamos, Senhora, que estamos a construir um mundo melhor e que estamos a ir, como cristãos, ao encontro de todas as periferias, como nos pede o Papa Francisco. Sabemos a devoção que ele tem. No dia a seguir à sua eleição para bispo de Roma e de pastor universal da Igreja, quis que o seu primeiro gesto – ao acordar da manhã nesse primeiro dia do seu pontificado – fosse levar um ramo de flores ao teu altar, na basílica de Santa Maria em Roma, em que és invocada como a «salvação do povo romano». Invoco-te hoje, ó Senhora, Mãe de Deus e nossa mãe, Virgem Peregrina de Fátima, como salvação do nosso povo, bênção da nossa diocese, rainha de Portugal. Que nesta noite, diante desta multidão, encontres todos os habitantes desta cidade e nestes dois concelhos de S. João da Madeira e de Oliveira de Azeméis. Vieram de longe muitos dos que aqui estão, pelo silêncio da noite, com os seus filhos aconchegados ao colo, com as suas preces e as suas orações, com as suas lágrimas e os seus louvores, com a sua gratidão e com a sua homenagem, com a sinceridade de coração, com a verdade da vida, com os olhos no futuro. Estamos aqui hoje, Senhora e Mãe, para agradecermos teres vindo até junto de nós. Mas estamos todos aqui, também, para te pedir que fiques sempre connosco. Abençoa a nossa cidade, abençoa a nossa vigararia, abençoa a nossa diocese, neste projeto de renovação pastoral em que queremos fazer da alegria do Evangelho do vosso Filho a nossa missão de cada dia. E hoje, neste dia, foi nossa missão percorrer e rezar como ensinastes aos Pastorinhos de Fátima, por nós e pelo mundo, pela Igreja e pela conversão, pela paz e pelo bem. Acompanhar-te-emos, Senhora, até à nossa igreja conventual de Cucujães, sabemos que aí ficarás connosco para que veles connosco sempre, mesmo nas longas noites de silêncio, mesmo nas horas em que podes parecer mais distante. Aí estaremos também. Para que nesta noite e em vigília, saibamos que as grandes vigílias da noite anunciam sempre novos dias de bênção, de graça, de alegria e de dia. Que assim seja Senhora, nossa mãe, padroeira de Portugal”.
Testemunhos recolhidos
– “Vivo com muita emoção esta visita. Eu gosto muito de ir a Fátima, porque tenho muita fé. E N.ª Senhora costuma atender as minhas preces. Peço agora para me conceder uma graça que eu preciso muito, mas que prefiro não dizer” (Angelina Amaral, da capela de St. António de S. João da Madeira – portuguesa que viveu 20 anos no Brasil e que o sotaque não permite “disfarçar”).
– “É muito significativo este momento excecional. Sentimos, também assim, N.ª Senhora mais perto de nós, pois ela é nossa Mãe e ampara-nos nos problemas da vida. Por isso, lhe dedicamos uma atenção especial” (casal José João e Belmira Oliveira, de Arrifana, S. João da Madeira).
(Grande reportagem do segundo dia da visita. Por: ANDRÉ RUBIM RANGEL)

in - http://imagemperegrina.diocese-porto.pt/noticias/deixemo-nos-olhar-pelo-olhar-materno-e-terno-de-maria:84

domingo, 10 de abril de 2016

Visita da Imagem Peregrina

https://www.facebook.com/Diocesedoporto/?fref=nf


Chega este final da tarde ao sul da diocese do Porto (Ovar) a Imagem Peregrina de N.ª Sr.ª de Fátima. Que estes 22 dias sejam sinal de graça e de misericórdia, um autêntico «Magnificat»! Ao início e ao final de cada dia, e ao longo deste período de visita, deixaremos aqui um pensamento de reflexão, relacionado com a Mãe do Céu:
"Escutamos o canto de Maria, o «Magnificat»: é o cântico da esperança, é o cântico do Povo de Deus no seu caminhar através da história. É o cântico de muitos santos e santas, alguns conhecidos, outros, muitíssimos, desconhecidos, mas bem conhecidos por Deus" (Papa Francisco).


Acompanhe a Imagem Peregrina e envie fotos para o nosso e-mail: imagemperegrina@diocese-porto.pt, indicando a data e o local. As melhores fotos serão publicadas no sitewww.imagemperegrina.diocese-porto.pt,www.facebook.com/diocesedoporto ewww.instagram.com/diocesedoporto

#diocesedoporto #imagemperegrina


https://www.facebook.com/Diocesedoporto/videos/1281120901917282/

terça-feira, 5 de abril de 2016

FORMAÇÃO E ADORAÇÃO EUCARISTICA COM CATEQUISTAS E CRIANÇAS PARÓQUIA S.COSME E S.DAMIÃO DE GONDOMAR



FORMAÇÃO E ADORAÇÃO EUCARISTICA COM CATEQUISTAS E CRIANÇAS

PARÓQUIA S.COSME E S.DAMIÃO DE GONDOMAR

      No dia 2 de Abril de 2016 decorreu uma formação e Adoração Eucarística para catequistas e com crianças na paróquia  de S .Cosme e S. Damião em Gondomar, orientado por Maria Emília Carreira, responsável nacional do sector das crianças.
      Após o acolhimento e a apresentação foram os catequistas e as crianças preparadas com cânticos, símbolos  e orações para a Adoração Eucarística, que se realizou na capela mor da Igreja.
      O Senhor exposto sobre o altar acolhe cada um de um modo particular e todos o adoramos, bendizemos e louvamos com o nosso modo de ser. As crianças com a sua simplicidade e admiração por uma novidade que começam a apreender, de olhos arregalados mas de coração atento a todos os ensinamentos; de olhos fechados na contemplação do mistério . Os catequistas cativados pelo poder da oração e da verdade que querem continuar a conhecer e contemplar em cada experiencia de Adoração Eucaristica.
       Na segunda parte a Maria Emília Carreira fez formação com os catequistas acerca da Adoração Eucarística. A Fátima Lobo e a Teresa Andrade num primeiro momento com as crianças (25) escreveram num papel, o testemunho da Adoração Eucaristica sobre o que mais gostaram.
      Seguiu-se uma pequena introdução á Mensagem de Fátima e sobre o filme que iam ver
      Era tempo de uma pausa para almoço partilhado e de uma saborosa sopa que foi servida com a colaboração dos catequistas e das senhoras do Secretariado da Mensagem de Fátima da paróquia de Gondomar que tão gentilmente nos acolheram. Bem hajam! e o nosso sincero obrigado.
      Na terceira parte as crianças visualizaram o filme “ O dia em que o sol bailou” que conta a história de uma forma resumida das Aparições do Anjo e também das Aparições de Nossa Senhora em Fátima.
      As mensageiras aproveitaram o ensinamento do filme para explicar mais em pormenor as mensagens das Aparições do Anjo e a celebração do centenário e também as aparições de Nossa Senhora.  Dar a conhecer a mensagem que continua actual e que ainda tão desconhecida por muitos.
     As crianças (42) estavam interessadas fazendo algumas perguntas, que as mensageiras foram esclarecendo e pedindo para passar a mensagem aos outros colegas, amigos e familiares.

             















sexta-feira, 25 de março de 2016

Santa Páscoa


Retiro em Corim - 2 de Abril

Venho deste modo lembrar a realização do retiro 

"Pela oração à transformação", 

no próximo dia 2 de abril na paróquia de Santo António de Corim.

Segue o programa:

9:30 H - Acolhimento
10:00 H - Oração da manhã
10:30 H - 1ª Palestra
11:15 H - Intervalo
11:30 H - Adoração
12:30 H - Almoço
14:30H - 2ª Palestra
15:15 H - Intervalo
15:30 H - Eucaristia

Agradecia que os que pretendem participar comunicassem até sexta-feira, 25 de março,  para que o Sr. José possa fazer a reserva dos almoços.

Um abraço a todos e uma boa semana santa

sábado, 19 de março de 2016

FELIZ DIA DO PAI

O Movimento da Mensagem de Fátima da Diocese do Porto deseja a todos os Pais um dia muito feliz


Pai, tantas coisas eu queria te dizer. 
Os dias se passaram e não sobrou tempo, e até coragem, para dizer o quanto tu és importante na minha vida e no meu dia a dia. 
Nos momentos de alegria, estiveste ao meu lado. Nos momentos de tristeza, ali estavas. E hoje, nesse dia, gostaria muito de estar a teu lado.

 Palavras não são suficientes para expressar o quanto te amo e quanto sou grato por tudo que és na minha vida. 

Feliz dia dos Pais!

in - http://www.mensagenscomamor.com/mensagem-dia-dos-pais

Dias do Deserto



sexta-feira, 18 de março de 2016

Ordenação Episcopal - D. António Augusto de Oliveira Azevedo






O Papa Francisco nomeou no passado dia 9 de janeiro, o Padre António Augusto de Oliveira Azevedo, membro do nosso Presbitério, Bispo Auxiliar do Porto.

ordenação episcopal de D. António Augusto será celebrada no próximo dia 19 de março, solenidade de S. José, às 15,30 horas, na Sé Catedral do Porto.

Esta informação oficial, agora dada, deseja ser, também, um convite à presença e à participação dos sacerdotes, diáconos, consagrados e leigos da nossa Diocese, assim como de todos quantos, de perto ou de longe, possam juntar-se, nesta hora de gratidão e de esperança, ao novo Bispo e à Igreja do Porto.


Preparemos desde já, na alegria e na comunhão, o dom desta ordenação episcopal. Aproveitemos este tempo da Quaresma e da Caminhada pastoral, proposta à Diocese, para o vivermos e valorizarmos como tempo de preparação da ordenação episcopal, sensibilizando as comunidades cristãs para a oração e para a reflexão teológica e pastoral sobre o sacramento da Ordem e sobre o ministério e a missão dos Bispos, dos Presbíteros e dos Diáconos na Igreja.

Demos graças a Deus pelo dom de uma nova ordenação episcopal e pela bênção de todos quantos na Igreja do Porto entregam por inteiro a sua vida a Deus para o serviço da Igreja, no ministério ordenado.

Agradeçamos igualmente todos aqueles que, na vida consagrada e no testemunho de vida e de fé de tantos leigos presentes no coração da sociedade, fazem do anúncio da Alegria do Evangelho, da proclamação das bem-aventuranças e da realização das obras de misericórdia a sua missão e caminho de profecia, de celebração da fé, de conforto de esperança, de serviço da caridade e de proximidade fraterna com o mundo em que vivemos.

Confiemos, desde já, à Virgem Maria, Senhora da Apresentação, este nosso irmão António Augusto, a quem Deus, no seu desígnio e na sua bondade, escolheu para Bispo da Igreja, para que o ilumine, abençoe e proteja com o seu amor materno.


Porto, 2 de fevereiro, festa da Apresentação do Senhor, de 2016-02


António, Bispo do Porto


in - http://www.diocese-porto.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=2967&Itemid=157

domingo, 13 de março de 2016

Presença na tomada de posse da nova direção do MMF da Paróquia de S. Cosme - Gondomar

Após a receção de uma missiva enviada ao Responsável do Movimento da Mensagem de Fátima do Secretariado da Diocese do Porto, na impossibilidade do Presidente Dr. António Ferraz não puder estar presente foram duas mensageiras, Teresa Andrade e Fátima Lobo representar o Secretariado.
Chegamos por volta das 10h50 à Igreja de S. Cosme e S. Damião onde fomos bem acolhidas pelas mensageiras do MMF da paróquia, ao qual nos levaram até ao seu pároco, Pe Alípio Barbosa que nos felicitou pela nossa presença.
Estivemos em união na Eucaristia das 11h onde a nova Direção tomou posse solenemente. 








No final da Eucaristia fomos convidadas para o almoço/convívio entre as mensageiras, paroquianos, o Pároco, e a graça de termos entre nós a aniversariante Dona Alice que completou hoje 96 Primaveras.

Seguidamente fomos para o salão onde visualizamos quatro documentários relacionados com a Mensagem de Nossa Senhora de Fátima.

O primeiro, "Fátima na Rússia"

http://www.dailymotion.com/video/x30ac29

No final foi servido um chá de limão com bolinhos, fruta entre outras coisas.
Retomou-se mais visualições:

Em que consiste a devoção dos 5 primeiros sábados:

http://blog.cancaonova.com/tododemaria/a-devocao-dos-cinco-primeiros-sabados/

https://padrepauloricardo.org/episodios/em-que-consiste-a-devocao-dos-cinco-primeiros-sabados-do-mes-em-honra-a-virgem-de-fatima

O inferno existe?

https://padrepauloricardo.org/episodios/o-inferno

Nossa Senhora de Akita - Japão

https://www.youtube.com/watch?v=y8zkREhVaPc

https://www.youtube.com/watch?v=NKBqQtYd9bs

No final seria a recitação do terço do rosário na Igrela pelas 18h15, mas nós as duas mensageiras regressamos a casa, muito satisfeitas e com o coração a transbordar de agradecimento pelo tão afetivo acolhimento.

Os nossos agradecimentos.
Bem hajam!

Fátima Lobo

domingo, 6 de março de 2016

Encontro de Formação para responsáveis do Setor das Crianças


No dia 5 de março pela madrugada de um sábado com muita chuva, três mensageiras partiram em direção a Fátima, Teresa Andrade, Fátima Matos e Fátima Lobo.
Chegaram peregrinas pelas 8h e pouco ao Santuário onde encontraram um sol radioso e quente e se aconchegaram na capelinha agradecendo e pedindo à Mãe do Céu força, coragem e saúde para todos.



Foram a à Formação para responsáveis do setor das Crianças que se realizou na Casa de Nossa Senhora das Dores, onde tomaram parte dos trabalhos que iriam decorrer nesse dia na sala de conferências do segundo andar.
Após a nossa chegada encontramos a Responsável a nível Nacional, Maria Emília que nos saudou com um forte abraço, o que nos enterneceu.




Iniciamos os trabalhos pelas 9h30 com a oração da manhã.

De seguida o Sr. Pe Antunes fez uma introdução sobre os trabalhos a realizar. Alertou para as dificuldades... elas existem! Cuidado! Ser grande, ser o mais importante do que todos os outros...
O MMF é uma missão, uma responsabilidade muito grande. Há mais de 20 anos que o Pe Antunes insiste nas crianças e poucos secretariados estão pouco empenhados, indiferentes a esta missão. Neste movimento há lugar para todos! Não inventamos nada, foi o céu que inventou e formou três crianças numa escola de espiritualidade e de santidade.
O esquema do Anjo é muito importante saber, assenta num tripé que é a adoração, penitência e contemplação. a primeira coisa que o Anjo fez foi prostrar-se e a ajoelhar e com a sua força interior levou as crianças a imité-lo.
Trabalho de reflexão pessoal - cada um pensar em nós, que formação espiritual nós temos para transmitir às crianças?
Santidade não é fazer milagres! mas ter uma força dentro de si para que saia sem darmos conta. Temos de deixar que dentro da técnica haja um espírito.

 


Após a intervenão do Sr. Pe Antunes, eis que somos brindados com o testemunho do Sr. Pe João, pároco de Coruche, pároco de 4 paróquias com 8 locais de culto.
Viver sem amigos?-  questiona-nos. Respondemos todos: - Não!
Temos amigos com quem gostamos de falar e partilhar - os santos.
Santos - "são amigos de Jesus que cuidam de nós, porque estão com Deus!"
Francisco - o menino da contemplação, o seu Amigo é Jesus. Menino pacato, nos jogos onde entrava nunca ganhava.
Jacinta - gostava de ganhar, de dançar e cantar. Todos nós fazemos asneiras, somos pecadores. Jacinta era cerdadeiramente missionária, é a menina da compaixão.
Lúcia - capacidade de ser fiel ao "Sim" que deu a Nª Srª, à vontade de Deus.
A nossa fidelidade a Deus começa no coração, transformar o mundo mas primeiro transformar o nosso mundo e terá assim consequência na vida dos outros.
Jesus foi sempre fiel à vontade do Pai. Deixamos de ser o centro de nós prórpios e passamos a ser o centro de Deus, a tomar Deus como o nosso centro de vida.
O Pe João diz que gosta de olhar para a Mensagem de Fátima como para uma medalha, que possui dois versos, a parte da frente são os pedidos que N^Sr^fez e a parte do verso a resposta que os pastorinhos deram.
Seguidamente testemunha as atividades que realiza nas suas paróquias como a contemplação: todas as quintas-feiras, adoração eucarística com intenções pelo Santo Padre.
Nos dias 13, hora da graça e da misericórdia, rezam pelo Santo Padre, pelos Sacerdotes e pela Familia.Colocam por escrito num papel as intenções, benze-se flores (rosas) e são levadas aos doentes.
No dia 7 de Outubro rezam o rosário (4 terços) em vigília durante duas horas.
Compaixão - primeiro sábado de cada mês rezam o terço num centro de dia.
Fidelidade - viver como filhos de Deus e de Maria. Fazem uma marcha pela paz, todas as quintas-feiras uma Missa a N^Srª.
Proclamar os pastorinhos de Fátima como patronos da catequese. Os nossos catequizandos de hoje precisam de referências.
No dia 20 de Fevereiro uma flor que cada criança leva.
Francisco é o patrono dos Acólitos em Portugal.
Uma imagem do Coração de Maria é levada por cada criança uma semana para casa e em família fazem/escrevem uma oração. No final recolhem-se todas as orações que são publicadas num livro.
O que nos faz mudar é o Amor.
O MMF é uma cisterna de água que quanto mais se tira mais ela transborda.
Um testemunho que muito nos agradou e ajudou nos nossos trabalhos nas nossas paróquias.




Após este testemunho, o Presidente do MMF a nível nacional, Nuno Neves, apresentou de uma forma resumida os estatutos e regulamentos.






De seguida a responsável a nível nacional do setor das crianças, Maria Emília Carreira, apresentou o Projeto - "Criança em movimento".
Porquê? - concretizar e dinamizar.
Importância -  difusão da Mensagem de Fátima.
Destinatários - Secretariado Nacional, Diocesanos, Paroquiais e todos os mensageiros.
Setor das Crianças:
- promover a constituição de grupos de crianças e adolescentes - Os Pequenos Mensageiros de Nª Srª.
- promover e estimular as Adorações Eucarísticas com crianças e adolescentes.


Pausa para almoço e convívio entre todos os presentes.
Iniciou-se os trabalhos da parte da tarde pelas 14h30, com a partilha de experiências, questões e dúvidas dos diversos Secretariados presentes.
Estiveram presentes - Porto, Viana do castelo, Fátima, Leiria, Algarve, Setúbal, Braga, Portalegre, Castelo Branco, Lisboa, Beja e Coimbra.
Após a intervenção de cada secretariado, seguiu-se uma intervenção da Irmã Amália, sob o tema: "Formação da personalidade da criança e a espiritualidade".
Educar com amor e com firmeza, definindo com clareza as regras e os limites.
A criança não é um adulto em miniatura. A criança vê o mundo de maneira diferente.
Saberes:
- saber humano
- saber social
- saber cultural, político e universal
- saber ético - Lúcia e sua mãe - Lúcia diz a verdade e a mãe não entende, transcende-a.
- saber estético - diferença entre o belo e o feio - "Que Srª tão linda!"
- saber espiritual - forma concreta de se relacionar com Deus.
São saberes impermeáveis, interligam-se entre si, comunicam os valores humanos muito vastos.
Ajoelhar não é só um movimento corporal mas uma atitude interior pois apresentamos uma Pessoa.
Respeitar a individualidade é um desafio, uma missão para os Educadores da Fé.
Este conhecimento não é um conhecimento para controlar a criança mas para ajudar a criança a ser plenamente criança.
Devemos conhecer as crianças para sermos como elas. Conhecê-las para as imitar e ser como elas, conhecer os motivos pelos quais elas são as prediletas do Reino de Deus. Conhecer a criança para a promover, compreender, entender e amar como ela é. 
Subjetividade
Individualidade
- fatores sociais, culturais, biológicos, psicológicos
Cada criança é única e singular.
Criança - Carinho - mais autoconfiança.Liberdade para expressar as suas emoções.
Adolescência - crise de identidade.
O adolescente precisa de expandir os seus horizontes e com interesses diferentes.
Três condições de desenvolvimento:
- Definir limites e regras;
- Brincar;
- Praticar desporto.
Três faculdades psicológicas:
Criatividade - papel importante na formação da espiritualidade (Einstein - espírito crítico, insaciável).
Imaginação - ferramenta vital para o desenvolcimento do sonho e da espiritualidade, escutar com atenção os sonhos das crianças.
Espiritualidade - é constitutiva da personalidade da criança, é sensível, ao transcendente, incentivar momentos e convidar à imobilidade e ao silêncio.
A oração, a quietude e o silêncio são naturais e devem surgir na vida da criança como unidade com os outros.
É importante ajudar as crianças a olharem para dentro de si. 
"As crianças fazem amadurecer os adultos com as suas perguntas" - Papa Francisco.
As crianças conseguem ser mesmo admirávies na entrega. Como ser como elas? - Olhando para Jesus. 
"Jesus é o modelo de criança filho como devenos ser" - Papa Bento XVI
Não é fácil conservar o enlevo infantil.
Terminou a sua intervenção com uma oração:







Após a finalização da intervenção da Irmã Amália foi saudada com uma salva de palmas, pois apresentou de uma forma simples, clara e com uma humildade que nos tocou a todos.
O Sr. Pe Antunes fez-lhe um pedido, se podia inserir a sua intervenção no próximo boletim do nosso movimento, ao qual ela acedeu prontamente e agradeceu.
Eu aqui deixei um excerto do que foi falado. Espero que ajude quem precise.
Seguiu-se um plenário onde foram colocadas questões à palestrante.
Fez-se um intervalo, para preparar e ensaiar os cânticos para a Eucaristia das 18h30.
Nós as três mensageiras do Porto, por termos autocarro pelas 19h30, despedimo-nos e fomos lanchar.
E fomos novamente à capelinha onde assistimos e rezamos o terço pelas 18h30, com as pessoas presentes e agradecemos a Nª Srª o dia passado tão perto dela.
Dirigimo-nos para a estação de autocarros onde pelas 19h30 iniciamos a viagem de regresso até ao Porto, onde chegamos pelas 21h35.
Foi um dia muito preenchido e cheio de experiências muito positivas.
Prometemos voltar para o ano!
Bem hajam!


  


Fátima Lobo


Afurada